Perineo - Massagem Perineal
 

O que é massagem perineal?

É um tipo específico e delicado de massagem realizada na região genital feminina ou, mais especificamente, na região do períneo. No geral a manobra trabalha toda a pele e adjacências da entrada do canal vaginal mas tem enfoque na porção muscular (MAP), localizada há cerca de 2 centímetros para dentro da vagina e envolvendo o canal quase como um nó.



Qual a função deste tipo de massagem?

A função principal da massagem perineal é permitir um relaxamento progressivo da MAP, especificamente na entrada do canal vaginal, além dos tecidos locais adjacentes (pele, camada subcutênea, pequenos músculos circunvaginais superficiais, etc).

É importante na preparação para o parto, quando o aumento na elasticidade da abertura vaginal é importante para a minimização de lesões que por ventura possam ocorrer. Por promover este alongamento da entrada do canal vaginal, a realização de massagem perineal no pré-natal (desde que realizada de maneira correta e na frequência necessária) tende a reduzir a necessidade de episiotomia (pequeno corte realizado pelo obstetra na entrada do canal vaginal para facilitar a passagem do bebê).

A massagem perineal promove um relaxamento e alongamento progressivo da MAP e dos tecidos da entrada vaginal, útil para os casos onde é necessária a facilitação na abertura do canal vaginal, como nos casos de vaginismo ou na preparação para o parto.



Como ela funciona?

A partir de lentos e delicados movimentos circulares, num primeiro momento ao redor da entrada do canal vaginal, a massagem tenta relaxar e alongar progressivamente os tecidos cutâneos e subcutâneos (pele, gordura, anexos e pequenos músculos superficiais).

Posteriormente os movimentos são concentrados na entrada da vagina há cerca de 1 centímetro para dentro, antes da linha da MAP (região muscular há cerca de 2 centímetros para dentro da vagina). O objetivo ainda é de alongar e relaxar o local.

Num terceiro momento o foco é a MAP, localizada há cerca de 2 a 3 centímetros para dentro do canal vaginal. Por se tratar de uma região de musculatura mais forte normalmente é necessário um pouco mais de pressão, respeitando-se a delicadeza da região. Aqui o objetivo principal é a mobilização e o alongamento da MAP.

Nesta altura a massagem perineal contribui de maneira decisiva para a conscientização e auto-percepção da mulher para com esta musculatura, fundamentais para o relaxamento consciente do local, nexessários para a passagem do bebê (para a gestante) ou do pênis (para mulheres com algum grau de vaginismo).

Não realize a massagem perinal por conta própria antes de consultar um médico ginecologista e aprender corretamente a técnica e seus cuidados com um fisioterapeuta especialista.




Como é realizada?

A melhor posição para a realização da massagem perineal é a chamada posição ginecológica (a mesma do consultório do ginecologista: deitada da maneira mais confortável possível, pernas afastadas e pés apoiados). Outras posições alternativas são a sentada ou, em último caso, em pé com as pernas afastadas, como na auto-massagem realizada pela própria mulher, por exemplo, durante o banho.

Após a verificação do médico de que não existem problemas ginecológicos como infecções e tomados os cuidados de proteção individual (luvas, etc), os dedos do terapeuta (ou da própria mulher) devem se lubrificados com gel específico para este fim. Movimentos circulares delicados com dois dedos devem ser iniciados ao redor da entrada do canal vaginal, concentrados na porção posterior (parte de trás da entrada da vagina, perto do ânus).

Não massageie a região da uretra (pequeno orifício, um pouco difícil de observar, mas por onde sai a urina, logo abaixo do clitóris) para evitar irritação e infecções.

Após ter conseguido o relaxamento suficiente da região superficial os dedos (ou um dedo, dependendo do caso e dos objetivos do tratamento) devem ser lentamente introduzidos na entrada do canal vaginal. Os movimentos circulares devem ser substituídos por semi-círculos (deslizamentos em forma de "U"). Deve-se procurar a linha da MAP - local onde se encontra esta musculatura, há cerca de 2 centímetros para dentro da vagina: é um local mais "apertado", onde é sentida por exemplo a pressão durante o ato sexual.

Depois de encontrar a MAP a metade dos dedos, levemente curvados para dentro da vagina, deve ser posicionada na altura dela, puxando a musculatura para baixo (na direção do ânus). Deve-se observar uma sensação igual ao alongamento muscular (como por exemplo ao alongar outro músculo antes de uma atividade física).

Esta sensação do alongamento (semelhante a um leve desconforto, latejante, ou uma ardência mais profunda - que não na pele) deve ser sustentado até que diminua ou desapareça (o que leva cerca de 20 a 30 segundos, normalmente).

Caso sinta algum desconforto diferente, maior ou dor interrompa a massagem e contate seu fisioterapeuta especialista ou médico ginecologista.

Na sequência deve-se aliviar a pressão e retornar aos movimentos em "U", repetindo em seguida a pressão para cada um dos lados da vagina (na direção de cada uma das coxas) do mesmo modo que foi descrito acima.

Por fim podem ser realizados suaves "movimentos de serra" (deslizando os dedos em vai-e-vem, entrando e saindo da vagina, juntamente com o movimento de deslizar os dedos em forma de "U"). Se a massagem for realizada por outra pessoa que não a mulher, converse sempre durante o procedimento para que o grau de "força" dos movimentos sejam suficiente confortáveis. A massagem pode ser realizada até mesmo todos os dias, de acordo com o plano de tratamento e a necessidade de cada caso.

Lembre-se: a massagem perineal é apenas a forma mais simples de auxiliar ou tentar minimizar o risco de lesão durante o parto vaginal. Para uma preparação-para-o-parto eficaz é fundamental o treino de exercícios para a MAP, com enfoque na coordenação motora e na propriocepção (auto-percepção) da MAP. Consulte um fisioterapeuta especialista em uroginecologia para um plano completo de tratamento de acordo com o seu caso em particular.